Diário de empreendedora

Já contei para vocês que virei fã de carteirinha da diva inspiradora Nathália Arcuri? Tenho feito maratona dos vídeos do canal dela no Youtube, o Me Poupe, para não fazer mais cagada com o dinheiro (quando voltar a ter né kkkk). E por coincidência do destino, ela resolveu lançar a segunda edição do Desafio da Riqueza bem agora. Challenge accepted!

Nesse post, vou contar então como está sendo minha experiência com os desafios diários, e a reflexão que cada um está despertando em mim.

Obs1: a Nathália vai postando os desafios do próximo dia na noite anterior, então vamos descobrindo aos poucos o que nos espera. Conforme a semana for passando, vou atualizado esse post.

Obs2: Aproveita que ainda estamos no começo e vem participar também! Faça mais de um desafio no dia para nos alcançar e concorrer à consultoria da Nathália Arcuri. Para isso, basta postar seus desafios nos stories do Instagram marcando @nathaliaarcuri e #desafiodariqueza

Obs3: Os nossos estão por lá também, no nosso insta: @diario.empreendedora

Dia 1: Ficar o dia inteiro sem reclamar

Segunda (10/12/18) fiz o primeiro dia do #desafiodariqueza, e me dei conta do QUANTO EU RECLAMO durante o dia. É em pensamento, “Tem muito pedido para embalar!“, é verbalmente, “Ninguém atende esse telefone!“, e é até por escrito, “Que demora!“. Não preciso nem comentar que falhei miseravelmente no desafio, que era Passar um dia sem reclamar.  Como não estou autorizada a reclamar que reclamo demais, vamos lá para as observações que fiz.

Primeiro: me peguei reclamando até de coisas que são em essência excelentes, como “ter muitos pedidos”. Afinal de contas, é para isso que trabalho tanto: para fazer as vendas bombarem mesmo! Santa incoerência, Batman!

Segundo: a mania de querer controlar tudo é a mãe das reclamações. Qualquer coisinha levemente fora do programado, e pronto, eu já estava fazendo o maior drama e resmungando. Tive que esperar da mesma forma para ser atendida, e ainda fiquei de mal humor.

Terceiro: ocupe sua cabeça para não sobrar tempo para isso. Pensamento solto, voa para reclamação que é mais fácil. Então, quando perceber a mosquinha do resmungo rondando por perto, já afasta e foca em algo melhor para pensar! No meu caso, aproveitei a vibe e coloquei os vídeos do Me Poupe em autoplay por perto, e segui embalando os tais pedidos rs

Dia 2: Tirar o extrato e grifar tudo o que você comprou sem precisar

Menina, esse tive alguns problemas técnicos para realizar no segundo dia (11/12/18). Isso porque, desde que entrei em falência pessoal ano passado, eu literalmente não tenho dinheiro na conta para gastar assim no dia a dia. O que cai na conta vai direto pagar as parcelas das negociações, então não ia ser um exercício muito rico grifar essa movimentação. Por isso, optei em fazer o desafio com a conta jurídica da loja, para ver se tem algo nela que consigo enxugar.

E olha só as descobertas: o total de despesas desnecessárias nesses últimos 30 dias superou os gastos necessários ¬¬ Fiz várias compras nos fornecedores para “aproveitar Black Friday” e estocar produtos que poderiam ter sido totalmente evitadas, visto que nosso modelo de negócio é justamente não ter estoque, comprar apenas o que for vendido. Realmente teremos mais lucro esses itens, porém enquanto eles não são vendidos, ficamos com mercadoria (e dinheiro) empacado. Impulso consumista reprovado!

Também percebi que atrasei o pagamento de um compromisso por não julgar essencial na época do vencimento, mas depois tive que pagá-lo de qualquer forma com multas e juros. Escolha pouco inteligente.

Dia 3: Negociar alguma conta fixa para conseguir desconto

Esse aqui eu ainda não consegui cumprir… Desconto no plano de saúde não rolou, mas vou tentar no celular e internet. Aguardem cenas de próximos capítulos!

Dia 4: Expressar gratidão não óbvia

A tal da gratidão é uma habilidade que eu tento praticar há algum tempo. Já comecei uns 3 caderninhos da gratidão, em que a ideia era escrever a cada dia uma coisa pela qual era grata assim que acordasse. Porém, todos eu começo e acabo largando depois de um tempo… Meio que um problema crônico meu, não levar essas decisões por muito tempo.

Agora, a gratidão que a Nath propõe no desafio não é bem essa, é uma muito mais complexa. Expressar gratidão a algo ou alguém que me prejudicou de alguma forma. Caraca, num ano tão tenso como foi 2018, a cabeça fervilha de alternativas… Chega a ser difícil escolher uma situação só rs

E apesar de ter uma pessoa bem definida que mereceria essa “honra”, confesso que ainda não tenho a evolução necessária para ser grata a tudo que me fez. Então, vai ficar para uma próxima vez.

Gratidão Não Óbvia

Vou deixar minha gratidão para o fato de esse ano eu ter ficado muito mais sozinha do que estava acostumada. Tem sido uma das piores experiências a que tenho passado nos últimos anos, uma sensação de ter voltado ao passado. Antigamente acho que era mais fácil ficar na minha própria companhia, talvez porque não tinha experimentado como era muito melhor estar sempre com outras pessoas. Sem contar que eu era uma pessoa mais agradável comigo mesma, sem esse turbilhão de problemas internos que me dominam no momento. Dificuldade em dobro, então.

Mas a vida muda, as pessoas seguem seus caminhos, e é preciso se reinventar. É justamente isso que tenho tentado fazer: enxergar novas possibilidades para mim, novos rumos. Passei a enxergar que é disso que preciso, aproveitar esse tempo comigo para criar projetos que me levem onde quero chegar. Sou grata portanto por perceber que não tenho que ter medo de seguir sozinha, de planejar algo meu, de construir a vida que quero sem necessariamente incluir todo mundo em cada etapa. Não que eu vá abandonar ninguém no caminho, mas simplesmente que eu posso dar passos só meus, e compartilhar depois os frutos com quem se mantiver por perto. Agradeço então a essa minha solidão forçada.

Dia 5: Vender um item que você não usa mais

Esse desafio eu comecei na quinta (13/12/18), mas coloquei em prática mesmo no sábado, porque o restante da semana foi loucura. Juntei roupas que não uso mais, minhas e das pessoas mais próximas, e coloquei tudo à venda.

Ao todo, juntei 48 peças. As mais elaboradas coloquei no Enjoei, e o restante na OLX. Tudo com preço de super desapego, para vender rápido mesmo e cumprir o desafio. Vou deixar os anúncios no ar até o final do mês, e o que não vender vai para doação.

Até o momento, uma pessoa já entrou em contato na OLX com interesse, vamos ver se consigo concretizar a venda.

Dia 6: Restringir o tempo de redes sociais a 15 minutos

Dia 7: Se divertir com apenas R$ 10 por pessoa

Sou bem flexível nos gastos com lazer, então esse desafio foi bem tranquilo para mim. Fui à sorveteria com uma amiga, e gastei exatos R$ 9,00 com o potinho menor do tradicional gelato aqui da cidade. Cumpri o desafio, colocamos a conversa em dia e ganhei até presente de Natal. Um verdadeiro sucesso!

Você gostou desse conteúdo?
Inscreva-se hoje e receba as novidades do Diário de Empreendedora.
Eu desejo me inscrever na lista de email do Diário de Empreendedora para receber novidades
Powered by Optin Forms